17 setembro 2008

Fuso

As linhas do dia,
Os raios lunares.

O frio da manhã,
Rara madrugada.

Relíquia do tempo,
E meu pensamento
Todo em você.

O dia ao contrário,
Idéias paradas:

- Por que não pagam 
Pelos versos?

- Por que não prezam
Pelo avesso?

- Por onde andam,
Delatores?

- Por qual caminho,
Quantas cores?

Dois versos,
Pula linha,

E as repostas
Não são minhas.

Paulo Renato,
17/09/2008.

4 comentários:

Suely disse...

Muito bacana seus versos. Já repassei pra um nonte de gente...

Anônimo disse...

Paulo, é sempre um grato prazer ler suas poesias........
Adorei!
Um abraço

Zu

Anônimo disse...

Suely escreveu para mãe do Paulo]

Adorei o texto (poesia) do seu filho.
grata.
bjs.
Suely Calasans

Elisssss disse...

Linda poesia!!!!

Bjo e bom final de semana!