18 junho 2008

Soneto aos Olhos da Ju

Que iluminam as cores
De corações apertados,
E põem em cena os atores
De um novo e vivo tablado.

De onde a palavra transborda
E me transforma em máquina,
Que reinventa a música,
Que todo dia me acorda.

Significam perfeitos.
Tanto o esquerdo ou o direito,
Determinam raro efeito

Quando me tocam profundo
E, na dimensão de um segundo,
Enchem de flores meu mundo.


Paulo Renato,
17/06/2008.

3 comentários:

Eu disse...

Escrever...
Escrever poesia...
Transmutar as energias ,que estavam presas no centro do corpo, em palavras.
Palavras, que vão transmutar as energias ,presas dentro do centro do corpo,de quem a lê.
Quem lê, também se inspira , ou apenas sente essa transmutação...
Escrever poesia...
Ler poesia...
Os olhos nos ajudam nessa transmutação...

Eta, efeito borboleta!

Até as próximas palavras...
Renata L.

Paulo Renato César disse...

A translação do ser humano é esse movimento. A transmutação! Cada volta, uma novidade. Beijo.

Anônimo disse...

Soneto aos Olhos
Adorei a poesia.. realmente muita linda...Rosemary